Bem-vindo! Hoje é segunda-feira, 16 de setembro de 2019

HU deve reabrir bloco cirúrgico em 30 dias

Após a garantia de uma nova contratualização entre o Hospital Universitário Dr. Mário Araújo, mantido pela Fundação Attila Taborda (FAT), e a Secretaria de Saúde do Estado, outra boa notícia para os bajeenses: o bloco cirúrgico da instituição deve reabrir em até 30 dias. O tema foi uma da pautas tratadas entre a delegação de Bagé, integrada pela reitora da Urcamp e presidente da FAT, professora Lia Maria Herzer Quintana, e o prefeito Divaldo Lara, junto à titular da pasta estadual da Saúde, Arita Bergmann, durante agenda, na tarde de terça-feira, no Departamento de Assistência Hospitalar e Ambulatorial (DAHA).

A contratualização é um instrumento de gestão que legitima a relação do gestor estadual com os prestadores de serviços de saúde. Reaberto em dezembro de 2016, após um período de crise financeira, o Hospital Universitário, hoje, está revitalizado e assegura dois terços de seus serviços a usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

A reestruturação financeira, administrativa e física pela qual vem passando o hospital possibilita a retomada de serviços que estavam suspensos, como as cirurgias eletivas. O investimento na modernização do novo bloco cirúrgico, por exemplo, possibilitou que a contratualização as disponibilizasse.

O diretor do hospital, Henry Ribeiro Ritta, adiantou que um novo modelo de contrato, já incluindo os procedimentos cirúrgicos, está sendo elaborado e deve ser assinado na próxima semana. A previsão de reabertura do bloco cirúrgico é dentro de 30 dias.

Satisfeita com a situação atual do hospital, Arita disse que o reerguimento e consequente retomada de ações e serviços prestados à região são o exemplo concreto de que a comunidade, junto com o Poder Público, consegue dar respostas objetivas para a promoção da saúde.

O chefe do Executivo relembrou quando, em 2016, foi anunciada a suspensão das atividades da instituição de saúde e o reflexo desta ação na comunidade bajeense. "Lembro como foi difícil para a reitora Lia Quintana informar à sociedade que, por falta de apoio e suporte, por ser renegado pelo poder público, o Hospital Universitário teve que fechar suas portas. Não era a vontade da equipe, mas era a necessidade", disse Divaldo.

Também participaram da reunião a secretária-adjunta, Aglaé Regina da Silva, e a diretora do Departamento de Assistência Hospitalar e Ambulatorial- DAHA, Lisiane Fagundes, o secretário municipal de Saúde, Mário Mena Kalil, e o coordenador administrativo do Hospital Universitário, Eduardo Pizani. O representante da instituição de saúde, inclusive, apontou que, com a ampliação da gama de serviços disponibilizados, o hospital deve despontar no âmbito de atendimentos.
Considerado de médio porte, o HU é referência para a região da Campanha e atende, além de Bagé, usuários de outras cidades como Dom Pedrito, Candiota, Hulha Negra, Aceguá, Colônia Nova e Pinheiro Machado.